O que é a Arquitetura Serverless e como ela funciona

7 minutos para ler

Implantar e manter atualizados softwares e sistemas de automação na empresa, muitas vezes requer elevados custos para manter uma infraestrutura robusta de TI.

A adoção de arquitetura serverless, via de regra, contribui justamente para diminuir os investimentos iniciais e de operação. Neste artigo apresentamos o conceito, suas vantagens e como ela pode ser adotada com pouco investimento e muito retorno.

Por que modelos de infraestrutura de TI ficam defasados

A definição da arquitetura de TI e respectiva infraestrutura está a serviço da eficiência dos fluxos de trabalho, tornando os processos produtivos mais eficazes e alinhados com a estratégia da empresa.

O surgimento de novas soluções tecnológicas impacta diretamente na execução dos processos e dos seus fluxos, permitindo que as atividades tenham um grau cada vez maior de conectividade e convergência. A partir justamente da avaliação dessas características é que podemos dizer o quão uma infraestrutura está ou não defasada em relação a estratégia adotada para se alcançar resultados superiores.

A digitalização dos negócios é um movimento irreversível que precisa ser adotado pelas empresas para se manterem competitivas. Os responsáveis pela gestão já estão bem cientes do papel da tecnologia no seu sucesso daqui para a frente. Soluções digitais de controle e automação são uma busca constante para otimizar recursos e aumentar a qualidade de linhas produtivas, assim como para conseguir ser mais responsivo ao mercado — uma busca crescente segundo um estudo da CNI.

Desta forma, modelos de negócios mais flexíveis requererão decisões sobre configuração e atualização da plataforma de TI, assim como o quanto investir e qual tecnologia adotar, o que determinará a manutenção ou entrada dos negócios no futuro do setor.

O modelo clássico de investir na implementação de uma infraestrutura in-house para suportar a automação, inteligência e controle da cadeia produtiva, requer a disponibilidade de pessoal capacitado e elevado investimento para a aquisição e a manutenção de servidores próprios, além dos custos de segurança, expansão, quando necessário, e atualização. Ainda que a área de TI esteja deixando de ser vista apenas como um setor operacional, para ter um valor estratégico, utilizar de serviços compartilhados vem se mostrando bastante atraentes, seja pelo custo, paga-se somente pelo uso, seja pela atenção dedicada ao foco principal do negócio. Aliás, o conceito de “não posse” já está presente no dia a dia das pessoas e empresas em várias ofertas de bens e serviços.

Arquitetura serverless

A arquitetura serverless é exatamente uma solução que inclui alta performance e capacidade de utilização tecnológica sem que se precise arcar com os custos de manter a infraestrutura necessária para isso.

Em uma tradução livre, Serverless quer dizer arquitetura sem servidores ou FaaS – Função como Serviço. A ideia é que se consiga, por exemplo, implementar e configurar sistemas de automação complexos, que gerem dados de controle em tempo real, sem precisar montar a estrutura do zero.

Essa solução se tornou possível, inicialmente, com a popularização da cloud computing tradicional e hoje já existem ofertas derivadas, como por exemplo o BaaS, conhecido como Backend as a Service, que tem inserido na solução pacotes básicos de funcionalidades que facilitam a implantação dos negócios.Como o nome sugere — o BaaS oferece ao cliente toda a infraestrutura necessária para rodar um software ou um sistema nos bastidores (back-end), enquanto a TI e os diretores responsáveis por automação cuidam apenas da implantação e da customização do código na rotina da empresa (front-end).

A arquitetura Serverless facilita tanto as decisões de projeto quanto a operação em si, por oferecer alta disponibilidade, escalabilidade, configuração customizada e tolerância a falhas do fornecedor.

 A arquitetura serverless é realmente livre de servidores?

 Apesar do nome, é claro que uma arquitetura serverless está hospedada em um servidor da empresa fornecedora do serviço. Mas mesmo assim, o nome foi adotado porque a infraestrutura e parte do serviço é completamente invisível para quem adota a solução.

A TI não precisa se preocupar com especificações, manutenção de equipamentos e estruturação de dados e sistemas. O servidor deixa de ser uma variável dentro do planejamento tecnológico.

Como essa é uma das partes mais custosas e de difícil implementação, os ganhos são importantes para a entrada na indústria 4.0.

Por que ela está se tornando uma tendência?

Não precisamos ficar apenas na parte teórica de como funciona a arquitetura sem servidores. O modo mais fácil para entender por que essa solução é cada vez mais popular é listando alguns benefícios que empresas do mundo inteiro estão encontrando nela. Confira!

Investimento inicial baixo

A grande vantagem de trocar a infraestrutura in-house por uma arquitetura serverless é a barreira de entrada muito menor para empresas de todos os tamanhos.

Ao invés de comprometer o capital inicial em equipamentos e na sua implementação, se faz a assinatura de um serviço que garante toda essa base remotamente. O tempo e o dinheiro que não foram gastos podem ser alocados na aquisição de soluções de automação e no planejamento para extrair o máximo de retorno.

Previsibilidade de recursos

Como em todas as soluções como serviço, paga-se por aquilo que é utilizado/recebe. Isso dá flexibilidade e consequentemente adaptabilidade do uso da estrutura disponível e ao quanto a empresa gasta com infraestrutura de TI.

Com servidores in-house é difícil definir, no longo prazo, quando a empresa precisará de um novo grande investimento. Com automação baseada na arquitetura serverless, essa projeção é muito mais simples de ser feita.

Atualização constante de infraestrutura

Falando nesse ciclo de investimento em servidores, muitas indústrias trabalham a maior parte do tempo com tecnologias defasadas simplesmente porque é impossível atualizar o parque com a frequência que seria necessária.

Na arquitetura serverless, isso deixa de ser uma preocupação. A responsabilidade de investir em novas tecnologias é da fornecedora do serviço e a empresa consegue estar sempre suprida dos recursos mais avançados no mercado.

TI mais estratégica

Os profissionais de TI, hoje, são vitais para o sucesso de uma empresa. São eles que transformarão tecnologia em soluções práticas para otimizar a produção — como é o caso da implementação de sistemas e equipamentos de automação.

Nesse cenário, a arquitetura serverless suprime uma grande parte das rotinas de manutenção tecnológica. Há mais tempo e tranquilidade para focar a maneira de utilizar esses recursos para modernizar cada vez mais o negócio.

Resultados mais rápidos

Além de investimento em tecnologia, para que a empresa possa estar inserida no modelo de indústria 4.0 é necessário garantir a rápida adaptação da empresa no setor, às novas soluções de produção, a técnicas de gestão e às novas demandas do mercado.

Não dá para esperar meses até estruturar servidores para se aproveitar de uma nova tendência tecnológica. Se você não precisa mais se preocupar com essa parte, ganha um atalho incrível entre a elaboração de uma estratégia e a sua execução.

Por que o profissional deve se preparar para esse futuro?

A arquitetura sem servidores ainda é um conceito novo apesar de tudo — tem poucos anos de idade e, só agora, está se popularizando.

Isso é ótimo para quem quer sair na frente! O gestor do futuro é aquele que se informa sobre novas soluções do mercado, enxerga seu potencial e torna-se um agente dessa mudança.

Este é o tipo de pensamento necessário para quem apostará na arquitetura serverless: quanto menos você precisar se preocupar com a base da tecnologia, mais terá seu foco no que ela pode fazer pelo futuro do negócio.

E se você quer se atualizar ainda mais sobre essa e outras tecnologias aplicadas na indústria, venha seguir nossas redes sociais: LinkedIn, Instagram, Twitter e Facebook!

Você também pode gostar

Deixe uma resposta

-